Brahma X  Itaipava

Controvérsias judiciais são comuns entre a AMBEV, detentora da marca Brahma, e o Grupo Petrópolis, detentor da marca Itaipava. Em uma das ações, o Grupo Petrópolis foi proibido de colocar no mercado latas da cerveja Itaipava de cor vermelha, que foram lançadas à época em edição especial para divulgação na categoria automobilística da Stock Car.

O Grupo Petrópolis sofreu uma ação judicial por parte da concorrente AMBEV, que argumentou que a embalagem utilizada na cerveja Itaipava se tratava de imitação e concorrência desleal, confundindo o público consumidor em relação à mesma cor empregada anteriormente nas latas da cerveja Brahma.

A AMBEV, se considerando lesada em seus direitos e interesses, solicitou judicialmente que as latas vermelhas da cerveja Itaipava fossem retiradas do mercado.

A Justiça determinou, então, que o Grupo Petrópolis retirasse do mercado todas as latas vermelhas da cerveja Itaipava em até 30 dias. Caso, após este período, as embalagens continuassem sendo comercializadas o Grupo Petrópolis seria obrigado a pagar uma multa no valor de R$ 30.000,00 por dia, pelo descumprimento da sentença judicial.

Este não foi o primeiro confronto entre as duas marcas. Em outra ocasião, o Grupo Petrópolis, detentor da marca Itaipava, precisou retirar do mercado a versão Itaipava Fest, por se parecer muito com a marca SKOL Beats, que também pertence à AMBEV.

 

Brahma X Itaipava

Controvérsias judiciais são comuns entre a AMBEV, detentora da marca Brahma, e o Grupo Petrópolis, detentor da marca Itaipava. Em uma das ações, o Grupo Petrópolis foi proibido de colocar no mercado latas da cerveja Itaipava de cor vermelha, que foram lançadas à época em edição especial para divulgação na categoria automobilística da Stock Car.

O Grupo Petrópolis sofreu uma ação judicial por parte da concorrente AMBEV, que argumentou que a embalagem utilizada na cerveja Itaipava se tratava de imitação e concorrência desleal, confundindo o público consumidor em relação à mesma cor empregada anteriormente nas latas da cerveja Brahma.

A AMBEV, se considerando lesada em seus direitos e interesses, solicitou judicialmente que as latas vermelhas da cerveja Itaipava fossem retiradas do mercado.

A Justiça determinou, então, que o Grupo Petrópolis retirasse do mercado todas as latas vermelhas da cerveja Itaipava em até 30 dias. Caso, após este período, as embalagens continuassem sendo comercializadas o Grupo Petrópolis seria obrigado a pagar uma multa no valor de R$ 30.000,00 por dia, pelo descumprimento da sentença judicial.

Este não foi o primeiro confronto entre as duas marcas. Em outra ocasião, o Grupo Petrópolis, detentor da marca Itaipava, precisou retirar do mercado a versão Itaipava Fest, por se parecer muito com a marca SKOL Beats, que também pertence à AMBEV.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.